Horizontal List

PM Rui Araujo
Investir no futuro de Timor-Leste
FUTURO
Timor-Leste acolheu a mais recente reunião trilateral da plataforma para o Desenvolvimento Económico Sub-Regional Integrado entre Timor-Leste, Indonésia e Austrália

Ai-han Timor Nian
Ramos-Horta
"Tantangan Timor Leste Makin Berat"
ECONOMIA
"..fo-hanoin ba ukun nain sira nebe tinan tinan truka hela deit ministrus, atu hare ba povu nia moris nebe "kuaze 50%" povu sei moris iha linha pobreza nia laran..."
Australia-Timor Leste
Notre Dame students experience the world and help those in need in Timor-Leste
Empresários - Timor Telecom
Empresários timorenses e fundo das Fiji na corrida pela Timor Telecom
Timor-Leste - BAII
Timor-Leste inicia processo de adesão ao Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas
Timor-Leste - Maluku
Maluku kaji kerja sama dengan Timor Leste

domingo, 9 de novembro de 2008

Presidente do Banco Mundial: consenso sob necessidade de reforma do sistema começa a impor-se

Todos os países avançam para uma zona de perigo”,
avisou o presidente do Banco Mundial
Presidente do Banco Mundial: Consenso sob necessidade de reforma do
sistema começa a impor-se
Crise financeira
09.11.2008 - 11h40
Por Lusa

Os países do G20 estão perto de um consenso sobre a necessidade de reformar o sistema financeiro, numa altura em que as economias estão a entrar “numa zona de perigo”, afirmou ontem o presidente do Banco Mundial (BM), Robert Zoellick.Falando aos jornalistas, à margem da reunião ministerial do G20 em São Paulo, no Brasil, que reúne os países mais avançados do Mundo e os grandes países emergentes, Zoellick afirmou que todos defendem a necessidade de uma resposta coordenada à crise financeira mundial.
No entanto, Zoellick sublinhou que a criação de uma nova arquitectura financeira levará tempo. “Praticamente nenhum país é poupado (...). Todos os países avançam para uma zona de perigo”, avisou o presidente do Banco Mundial.“Estes desafios globais pedem soluções globais”, considerou. “Necessitamos de modernizar o sistema multilateral de modo a que importantes países em vias de desenvolvimento, como o Brasil, possam fazer ouvir a sua voz”, sublinhou.
Mudanças visíveis em dois anos
Robert Zoellick considerou que, “dentro de dois anos, vai-se assistir a verdadeiras mudanças no sistema mundial”.Questionado para saber se a reunião de São Paulo vai nesse sentido, Zoellick sublinhou que “é demasiado cedo para o dizer”.O presidente do Banco Mundial acredita que a situação poderá ficar mais clarificada após a cimeira do G20, a 15 de Novembro em Washington.“Penso que se trata de período de indecisão em que as pessoas tentam ter uma ideia de uma boa conjugação de países e instituições que permitam resolver os problemas de uma forma ao mesmo tempo eficaz e legítima”, sublinhou Zoellick.

Sem comentários: