Horizontal List

PM Rui Araujo
Investir no futuro de Timor-Leste
FUTURO
Timor-Leste acolheu a mais recente reunião trilateral da plataforma para o Desenvolvimento Económico Sub-Regional Integrado entre Timor-Leste, Indonésia e Austrália

Ai-han Timor Nian
Ramos-Horta
"Tantangan Timor Leste Makin Berat"
ECONOMIA
"..fo-hanoin ba ukun nain sira nebe tinan tinan truka hela deit ministrus, atu hare ba povu nia moris nebe "kuaze 50%" povu sei moris iha linha pobreza nia laran..."
Australia-Timor Leste
Notre Dame students experience the world and help those in need in Timor-Leste
Empresários - Timor Telecom
Empresários timorenses e fundo das Fiji na corrida pela Timor Telecom
Timor-Leste - BAII
Timor-Leste inicia processo de adesão ao Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas
Timor-Leste - Maluku
Maluku kaji kerja sama dengan Timor Leste

sábado, 3 de maio de 2008

O Desafio que se Coloca à Económia Timorense


O futuro economia de Timor Leste dependerá, em última análise, da criação de um sector privado próspero que possa gerar produção, poupanças, investimento privado e comércio. As políticas públicas para os próximos anos devem, por isso, apoiar um clima em que o sector privado se possa expandir e florescer.
De entre as medidas mais importantes estão:
Estabelecer regras claras—O governo deve manter regras simples, transparentes e estáveis para as actividades do sector privado.
Investir em capital humano—Em particular na saúde e educação, para assegurar que os pobres podem tirar partido destas novas oportunidades.
Criar um sistema legal sólido—significará lidar com assuntos tão difíceis como as reclamações sobre a terra e os direitos de propriedade, criar um sistema judicial forte e manter a lei e a ordem.
• Promover a estabilidade macro-económica—Desenvolvendo políticas fiscais, monetárias, comerciais e de investimento que permitam que os recursos sejam afectados eficientemente.
• Infra-estrutura—Assegurar fornecimentos de água e de electricidade fiáveis, estradas adequadas e portos e aeroportos eficientes. Um dos perigos de promover um crescimento rápido baseado no mercado é o de aumentar as desigualdades—particularmente entre as zonas rurais e urbanas. Alguns destes enviesamentos surgem no quadro do funcionamento do mercado livre mas as políticas governamentais também correm o risco de acentuar estas tendências através do sistema fiscal ou oferecendo subsídios que na prática só são acessíveis aos agricultores mais prósperos. O objectivo deverá ser, portanto, promover o crescimento com equidade, criando oportunidades para o sector privado ao mesmo tempo que se protegem os interesses dos pobres. Isto sublinha a importância não só do estímulo à agricultura mas também de assegurar o tipo de desenvolvimento equilibrado que permita que os benefícios se disseminem pelo país.
O desenvolvimento da infra-estrutura rural será crítico neste aspecto— em especial estradas confiáveis e sistemas de comunicação que permitam que os mercados rurais funcionem eficientemente e que melhorem os preços que os produtores mais pobres recebem pela sua produção. Ao mesmo tempo, Timor Leste deverá desenvolver um sistema financeiro rural, incluindo esquemas de micro-crédito, em especial para as mulheres e outros grupos que poderão estar afastados do mercado de trabalho formal. Melhorar a infra-estrutura rural também deverá estimular outras actividades rurais não-agrícolas— incluindo a indústria pouco especializada, mão-de-obra intensiva, e outros serviços com ela relacionados. Neste caso o objectivo seria o de estimular os rendimentos das famílias rurais, particularmente durante os períodos sazonais de menos trabalho Agrícola.

1 comentário:

heitor disse...

É de louvar a existência de uma página de Economia sobre Timor-Leste. Estamos perante o caso notável de um país pequeno que tem muita gente a escrever sobre ele, não conseguindo passar despercebido à comunidade internacional. Parabéns!