Horizontal List

PM Rui Araujo
Investir no futuro de Timor-Leste
FUTURO
Timor-Leste acolheu a mais recente reunião trilateral da plataforma para o Desenvolvimento Económico Sub-Regional Integrado entre Timor-Leste, Indonésia e Austrália

Ai-han Timor Nian
Ramos-Horta
"Tantangan Timor Leste Makin Berat"
ECONOMIA
"..fo-hanoin ba ukun nain sira nebe tinan tinan truka hela deit ministrus, atu hare ba povu nia moris nebe "kuaze 50%" povu sei moris iha linha pobreza nia laran..."
Australia-Timor Leste
Notre Dame students experience the world and help those in need in Timor-Leste
Empresários - Timor Telecom
Empresários timorenses e fundo das Fiji na corrida pela Timor Telecom
Timor-Leste - BAII
Timor-Leste inicia processo de adesão ao Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas
Timor-Leste - Maluku
Maluku kaji kerja sama dengan Timor Leste

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Governo timorense prepara entrada no capital da EDP

António Sarmento com C.S.
01/10/10 00:05

José Ramos-Horta quer aplicar parte dos 4,4 mil milhões de euros do Fundo Petrolífero de Timor em empresas portuguesas. EDP é o principal alvo.

O Governo de Timor-Leste, que gere um Fundo Petrolífero avaliado em seis mil milhões de dólares (cerca de 4,4 mil milhões de euros), quer investir uma parte deste dinheiro em acções da EDP.

O presidente timorense, José Ramos-Horta, já se encontrou com António Mexia e outros administradores da empresa eléctrica portuguesa, para falar sobre o assunto. "O fundo está investido em obrigações do tesouro americano e o Governo timorense está a pensar diversificá-lo, até porque continua a acumular dinheiro todos os meses", adiantou Ramos-Horta ao Diário Económico.

"Timor-Leste pode ser investidor e comprar acções da EDP. É uma empresa com muito sucesso e credível em todo o mundo", reforçou o presidente timorense em declarações ao Diário Económico, ontem, durante a viagem de comboio entre Lisboa e o Porto. Ramos-Horta encontra-se em Portugal para participar na Conferência dos Doadores, que se realiza hoje em Paredes.

Fonte: Economico.sapo.pt

Sem comentários: