Horizontal List

PM Rui Araujo
Investir no futuro de Timor-Leste
FUTURO
Timor-Leste acolheu a mais recente reunião trilateral da plataforma para o Desenvolvimento Económico Sub-Regional Integrado entre Timor-Leste, Indonésia e Austrália

Ai-han Timor Nian
Ramos-Horta
"Tantangan Timor Leste Makin Berat"
ECONOMIA
"..fo-hanoin ba ukun nain sira nebe tinan tinan truka hela deit ministrus, atu hare ba povu nia moris nebe "kuaze 50%" povu sei moris iha linha pobreza nia laran..."
Australia-Timor Leste
Notre Dame students experience the world and help those in need in Timor-Leste
Empresários - Timor Telecom
Empresários timorenses e fundo das Fiji na corrida pela Timor Telecom
Timor-Leste - BAII
Timor-Leste inicia processo de adesão ao Banco Asiático de Investimento em Infraestruturas
Timor-Leste - Maluku
Maluku kaji kerja sama dengan Timor Leste

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Economia mundial está "num ponto de inflexão", afirma Jean-Claude Trichet

Porta-voz dos dez maiores bancos mundiais e do BCE disse que a queda do PIB mundial "abranda"
11.05.2009 - 15h52
Por Lusa

A economia mundial está "num ponto de inflexão" e a queda do Produto Interno Bruto (PIB) mundial "abranda", afirmou hoje o porta-voz dos dez grandes bancos mundiais (G-10), Jean-Claude Trichet numa conferência de imprensa.
"Aproximamo-nos, no que respeita ao crescimento, de um ponto de inflexão", precisou Trichet, no final da reunião bimestral do G-10 na sede do Banco dos Pagamentos Internacionais, "o banco central dos bancos centrais", em Basileia (Suíça).
"Em todos os casos, observamos um abrandamento da queda do PIB (Produto Interno Bruto)", sublinhou, acrescentando: "Em certos casos vemos já uma retoma (e) noutros casos vemos que a queda prossegue, mas a um ritmo mais lento". Trichet, que é igualmente presidente do Banco Central Europeu (BCE), advertiu ser necessário manter-se "vigilante". "Ainda estamos em territórios inexplorados, mesmo se nos encontramos num ponto de inflexão e mesmo além", em certas regiões, considerou.
Os bancos centrais em todo o mundo têm vindo a baixar agressivamente as taxas de juro e os governos injectaram milhares de milhões para travar a pior recessão desde a Segunda Guerra mundial.
O Fundo Monetário Internacional (FMI) disse no mês passado existirem "indicações" de um abrandamento da taxa de contracção no mundo. A economia global vai sofrer uma contracção de 1,3 por cento este ano antes de voltar a crescer - 1,9 por cento - em 2010, indicou o FMI.

Sem comentários: